quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Solução

Pouco a pouco as mãos começavam a ficar dormentes. Os braços já não pareciam aguentar mais o peso do corpo. As pernas flutuavam no ar em busca de uma base. Os polegares e todos os outros dedos gritavam por ar, sem ilusões de sobreviver qualquer segundo a mais. Os olhos enlouqueciam nos globos oculares quando um rosto apareceu e mostrou uma saída para nova vida. Entretanto, a dúvida persistia. A de cá ou a de lá?

2 comentários:

Camila Lemos disse...

Gii... Quanto tempo!!!
Como você está?
Já estava ficando com saudades de dar um pulinho aqui e ver suas novas postagens!
O seu Blog é um dos meus prediletos :)
Não suma mais hein...
Beijo!

Ah, e não pense que me esqueci da continuação do livro... Aposto que você está ocupada, mas quando tiver uma oportunidade coloca o outro capitulo aqui que irei ler assim que puder! Hahahah

Gi. disse...

Oi!
Eh mt bom vê-la por aq novamente.
Eu eh q senti falta da vida internética, ñ q eu ñ estivesse nela, mas era profissionalmente... falo desta de visitar vcs e abastecer meu blog.
Este contato eh uma delícia.
Eu tb ñ esqueci do livro. Mas, to com umas ideias aq, q se der td certo, logo vc fica sabendo.
Por enquanto postarei poesias, contos e o q mais der na telha, rs.
;) superbjo***