quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Que Anjo?

Venha até mim
O mundo está se engolindo sem piedade

A Terra cravou suas presas na humanidade
Ou será que foi o contrário?

Que anjo poderá nos salvar?

Eu preciso de alguém
Alguém precisa de mim?

Tudo se esvai pelo ralo
A sarjeta é o fim de todos
Independente da raça, do credo, da conta bancária ou do colchão
Deslizamos pelo bueiro

Que anjo poderá nos salvar?

Eu amei
Amei demais
E você?
Amou?

Eu pequei
Pequei demais
E você
Pecou?

É estranho admitir
Você admitiria?
Mesmo com o fim chegando gradativamente
Você admitiria?

Que anjo quererá nos salvar?

Ele pode se infiltrar entre nós
Será que fingirá não nos ver?
Vislumbrará-nos como numa vitrine?
Ou nos assistirá como numa tela de tv?

Mais um show de entretenimento
Daquele canal banal
Mais que copiado e reprisado
Onde quase não se entende o que se fala
De tão mixada

As manchetes do céu:
O apocalipse da vez
Mais uma raça que parecia promissora
Sonho chega ao fim
Agora já era

Que anjo quererá nos salvar?

O verso virou do avesso
Que se desfez em nós
Caraminholas de todo ser
Prevalece o estar

Estar aqui, acolá
O terceira dimensão
A busca de ser irreal
Do irreal se tornar real

Venha até mim
Já não há quase tempo

Os ponteiros deram meia volta
Ninguém mais sabe dizer a verdade

Eu ainda acredito em você
Você ainda acredita em mim?

Que anjo nos protegerá?
*

4 comentários:

Débora Wachholz disse...

Amei!!!

Gi. disse...

Fico mt feliz!
Seja bem vinda, Débora!!!
bjs***

Natalia disse...

Giiii fiquei super feliz com a sua visita ao meu blog! Vou te adicionar e ja esotu seguindo..
Qto a poesia.. sem comentarios...lindaa... parabens!
:)

Gi. disse...

Obrigada, Nat!
Foi mt bom saber um pouco mais de vc depois desse tempo td. E melhor ainda, q está bem e progredindo
bjs***